O funk brasileiro

Se eu falar sobre a música brasileira você provavelmente vai se lembrar do Samba ou da Bossa Nova. Mas e o funk brasileiro? A partir de agora você também vai se lembrar desse ritmo musical ! 

Inspirado em grande parte pelo funk dos Estados Unidos da década de 70, o funk brasileiro encontra sua identidade no Rio de Janeiro graças aos MCs que colocam um ritmo próprio nessas músicas importadas, adicionando uma boa dose de Miami bass. As autoridades então os culpam por todos os males da sociedade, forçando os MCs a se refugiarem nas favelas da cidade no início dos anos 90. Nesse momento o funk vira “proibidão”. 

Apesar dessa “caça às bruxas”, o sucesso do baile funk continua. Além do conteúdo sexual, as demandas sociais e o ativismo popular são também características desse ritmo, carregado pelo transe musical de seus bailarinos. Assim nasce o “Passinho foda” em 2004.

O “Passinho foda” é uma dança extremamente rápida que lembra os passos de samba. Algumas celebridades conhecidas pelo quadril, entre elas Beyoncé, tentaram essa nova coreografia carioca, mas sem sucesso. Não é fácil ser um dançarino de funk!

Como você deve ter notado, não há muitas mulheres neste vídeo, pois até o início dos anos 2000, elas simplesmente não eram autorizadas. Foi, portanto, em um contexto de uma sociedade machista que elas tiveram que lutar para se tornarem grandes artistas como Anitta, conhecida como “Beyoncé brasileira”. 

No final de 2017, Anitta lança o videoclipe da música “Vai Malandra”, filmado na favela do Vidigal. A cantora não tem medo de se expor e exibe inclusive suas celulites. “Ela elogia uma feminilidade desinibida, livre de julgamentos e injunções feitas às mulheres” (slate.fr).

As portas do sucesso se abriram graças ao funk e ela não nega suas origens. Muito pelo contrário! Ela se apresenta como uma mulher autoconfiante e, voltando às suas raízes, apoia o movimento musical ameaçado pelo Estado. Hoje, esses cantores, DJs, MCs, produtores, dançarinos … conseguiram por meio da luta e da determinação ganhar o respeito e a escuta de seu público. A comunidade LGBT também conseguiu encontrar o seu lugar, estamos falando do “Funk Sapatão”. 

Do hino da Copa do Mundo FIFA 2014 aos sucessos da cantora de sucesso Anitta, o funk brasileiro não deixa ninguém indiferente, tanto visualmente quanto no discurso cada vez mais politizado e militante. 

E agora, pronto para dançar funk? Isso é demais!

Sources :
– Les origines des funk et sa prohibition : cliquez ici
– Beyoncé dansant le funk (à 2mn) : cliquez ici
– Anitta défend le funk : cliquez ici
– Anitta dans Brut : cliquez ici
– Anitta fait trembler Bolsonaro : cliquez ici
– Les Rios girls à l’assaut du funk dans Causette : cliquez ici
– Hymne du mondial de 2014 : cliquez ici
– Cours de funk avec la danseuse Ramana Borba : cliquez ici

Artigo redigido por Gabrielle , traduzido por Larissa da associação ThéâViDa

Votre commentaire

Entrez vos coordonnées ci-dessous ou cliquez sur une icône pour vous connecter:

Logo WordPress.com

Vous commentez à l’aide de votre compte WordPress.com. Déconnexion /  Changer )

Photo Google

Vous commentez à l’aide de votre compte Google. Déconnexion /  Changer )

Image Twitter

Vous commentez à l’aide de votre compte Twitter. Déconnexion /  Changer )

Photo Facebook

Vous commentez à l’aide de votre compte Facebook. Déconnexion /  Changer )

Connexion à %s

Créez votre site Web avec WordPress.com
Commencer
%d blogueurs aiment cette page :