Tzompantli 43 – visita guiada em português

Bem-vindo a la visita guiada da exposição coletiva Tzompantli 43.

Constituída de 43 linogravuras e realizada pelo coletivo mexicano Achokez em homenagem aos 43 jovens de idade entre 18 e 21 anos desaparecidos na noite do 26 ao 27 de setembro de 2014 na cidade de Iguala.

Retorno sobre o desaparecimento dos 43 estudantes de Ayotzinapa

Estudante da escola de mestres de Ayotzinapa, bastião da contestação social, 57 estudantes foram pegos na Iguala na noite do 26 de setembro de 2015. 43 deles foram obrigados a entrar em veículos da polícia.
A versão dos fatos dada pelo presidente Peña Nieto foi rapidamente contradita pelas provas científicas, entre elas a impossibilidade de queimar 43 corpos sem deixar nenhum vestígio.

Em Julho de 2020 a verdade histórica cai em pedaços com as descobertas de ossadas que um laboratório austríaco liga ao DNA de um deles 43 desaparecidos. Até o momento apenas dois copos são parecidos foram encontrados.
No México aproximadamente 60.000 pessoas são dados como desaparecidos desde 2006.
O caso dos 43 estudantes d’Ayotzinapa foi explosivo e as pessoas começaram a comentar.
Em 2016 Amnistía Internacional do México lançou o projeto Ayotzinapa 26. Composto de 26 curtas-metragens, o projeto oferece de melhor entender os passos.
Em 2019 Netflix produziu uma série de documentários os desaparecidos “Diário de Ayotzinapa ».

Tzompantli 43

Para seu primeiro aniversário, o coletivo de Achokez de Patzcuaro faz homenagem aos desaparecidos. Ilustrando crânios de papel machê e empilhando todos como Tzompantli asteca, que eram ossários de madeiras sobre os quais estavam pregados os crânios dos sacrifícios.
Comprado por um museu espanhol, o coletivo decidiu continuar o trabalho do memorial lançando um projeto plus gráfico no Atelier Grey, local do coletivo.
Javier Ornelas Huerta propõe então a 43 jovens artistas mexicanos de criar linogravuras e poemas em torno do caso Ayotzinapa. O projeto esteve presente em diversos lugares culturais no estado do Michoacán.

Antes de vim em Toulouse e em Montpellier, os 43 linogravuras estão respostas em grande moro em colona de três para respeitar a composição original dos Tzompantli.
Cada grupo de coluna trata de um tema:
corrupção e abuso de forças de ordem sobre a população que resiste e luta contra essa impunidade
sofrimento de família de próximos que não conhecem a verdade e não podem encontrar os corpos
sofrimento se não puder visitar os entes queridos de acordo com a tradições mexicanas

A partir da mesma forma os artistas puderam dar vazão à criatividade dando a essa exposição uma grande riqueza gráfica estética. Tem como objetivo acompanhar a liberdade de expressão do povo, dar suporte às famílias que combatem pela verdade e garantir que esses 53 jovens militantes não sejam esquecidos.

Essa exposição tanto quanto os outros suportes criados desde o começo do projeto em 2015 permitiram denunciar a situação. Assim como o combate desses jovens que dedicaram suas vidas ao ensinamento em regiões fragilidades pelas guerras de cartel e em comunidade esquecida pelo estado e que puderam enfim ecoar até a Europa.

Mas esse projeto não se limita apenas aos 43 aparecidos. Pois os desaparecimentos forçados no México são uma catástrofe sem tamanho E por isso que propomos um atelier no final de cada exposição.

Um pouco de prática – o ateliê

Para fazer linogravura, você precisa dos materiais seguintes: uma placa de linóleo, goivas, um suporte para tinta e um rolo para tinta

Faça um desenho sobre uma folha manteiga com lápis HB.
Repasse um traço sobre o contorno com lápis tipo 2B ou 3B. Vire sua folha e recontorno está desenho com lápis HB.

De acordo com o que você deseja imprimir, tire a matéria gravando sua placa de linóleo.
Coloca um pouco de tinta sobre o suporte. Em seguida, passe o rolo com tinta sobre a placa de linóleo gravada.

Coloque a placa sobre uma folha e com objeto pesado faça pressão.
Para terminar, convidamos a apreciar o trabalho do mestre Javier Ornelas Huerta.
E aí o que você achou?

Obrigada pela sua fidelidade e até logo no canal ThéâViDa

Sources:
Les Echos: clique aqui
Libération : clique aqui
Trailer del projeto Ayotzinapa 26 de Amnistía Internacional México em 2016 :  clique aqui
Documental Ayotzinapa: La otra historia (Ibero MX – 2018) : clique aqui
Trailer da série documental “Los días de Ayotzinapa” (Netflix – 2019) : clique aqui
Le Monde : clique aqui, clique aqui
Le Figaro : clique aqui
Courrier International : clique aqui
TV5 monde : clique aqui, clique aqui
Blog Ambos lados : clique aqui
Página Tzompantli em Facebook : clique aqui
El Pais : clique aqui
Manifestação solidária com Ayotzinapa do 8 de novembro de 2014 : clique aqui
Milenio : clique aqui

Article rédigé par Gabrielle de l’association ThéâViDa, tradução Paula

Votre commentaire

Entrez vos coordonnées ci-dessous ou cliquez sur une icône pour vous connecter:

Logo WordPress.com

Vous commentez à l’aide de votre compte WordPress.com. Déconnexion /  Changer )

Photo Google

Vous commentez à l’aide de votre compte Google. Déconnexion /  Changer )

Image Twitter

Vous commentez à l’aide de votre compte Twitter. Déconnexion /  Changer )

Photo Facebook

Vous commentez à l’aide de votre compte Facebook. Déconnexion /  Changer )

Connexion à %s

Créez votre site Web avec WordPress.com
Commencer
<span>%d</span> blogueurs aiment cette page :